segunda-feira, 30 de maio de 2011

Eu o amei ,em segredo mas amei...

O amor que eu sentia deixei-o preso,
como um pássaro em uma gaiola.
Eu sabia que me pertencia e sabia onde estava,
nunca abri a gaiola com medo de que a verdade
o levasse para longe de mim.
Passei anos pensando, se deveria deixar que
soubessem do meu amor impossível.
Estava quase tomando coragem de lhe dar a liberdade,
quando percebi que o pássaro estava morto.
Não fui eu que o matei, talvez ele tenha morrido
porque pensou que ninguém o amava.
Eu o amei, em segredo mas amei...


Quando li este poema, me apaixonei. e trouxe pra cá pro Gotinhas, porque aqui eu gosto de guardar tudo que me toca de alguma forma.
Obrigada Sandrinha por permitir que eu o postasse aqui.

11 comentários:

Claudia Balsabino disse...

Oi Sandra!!
Vim agradecer a sua visita no meu blog, obrigada pelo carinho, fico muito feliz que goste dos meus trabalhos!
Amei os seus 2 blogs também e saiba que já estão na minha lista de favoritos, virei sempre aqui.
Um grande beijo pra você!

Cláu Balsabino

Sandra Ribeiro disse...

Minha querida, muito obrigada! Fiquei tão feliz por colocar aqui as minhas palavras! Você é toda encanto, por isso te admiro!

Fernando Santos (Chana) disse...

Espectacular....
Cumprimentos

silvioafonso disse...

.


Cara, você não faz ideia de
como eu entendo isso. Depois
de ler o que a Sandrinha
permitiu que fosse transposto
ao seu blog eu voltei aos meus
tempos de menino. Eu morava em
um terreno que dava fundo para
um outro onde morava uma menina
da minha idade. Desde o dia em
que a conheci morri de
amor por ela. Era um amor que
doia como o frio do inverno
para quem não tem o que vestir.
Doia uma dor estranha que até
hoje eu sinto doer em mim. Fiz
um bilhete que mudava de bolsos
e nunca foi entregue. Um bilhete
que dizia da minha dor, do meu
amor por ela.
Da mesma maneira que Sandrinha
trazia o seu amor preso ou
guardado em uma gaiola, no meu
bolso eu guardava o meu. Eu
cresci, como todos os meninos,
e nunca mais a vi. Morreu nos
meus olhos o amor que doia,
mas na minha memória, que você,
Sandra, relembra agora, ainda
doi à beça essa dor que não há
de passar...

silvioafonso






.

MOISÉS POETA disse...

também gostei desse poema , Sandra !

voce foi muito gentil com a Sandra ribeiro, em posta-lo aqui.

deixo um beijo para as duas sandras !

João Ludugero disse...

Eu adoro poesias. E seus blogs estão uma coisa de louco: fantásticos! Já li e reli muita coisa interessante. Pérolas! Amei de paixão tudo aqui.
Tenhas um ótimo fds!!!!
Abraços,
João, poeta.

Manuel disse...

Pode levar à vontade. Sinto-me lisonjado com a sua escolha.

Márcia disse...

Menina é tão bom amar em segredo....quem já não passou por isto!!!
""""
Hoje não quero mais os teus passos...

...caminho nos meus... na procura de quem me possa encontrar.

""""

Essa com certeza vai pro meu blog...Este Manuel arrasou em sua poesia!

Parabéns...aos dois!


Lindo fim de semana e beijinhos

COISAS DE LUCI disse...

Ola, vim te visitar. E amar esta poesia!!! Linda mesmo. Vez ou outra, quando da um tempinho, venho passear pelo seu cantinho que acho uma graça. bjs

SweetMelody disse...

Minhas saudações da França! Depois de visitar seu blog, eu não poderia deixar sem colocar um comentário.
Quero parabenizá-lo no seu blog!
Talvez eu teria a oportunidade de recebê-lo na minha também!
Meu blog é em francês, mas à direita é o tradutor do Google!
bom dia
cordialmente
Chris
http://sweetmelody87.blogspot.com/

Toni Jose disse...

É bonito mesmo floriu seu blog com versos tristes mais lindos.